(Português do Brasil) Que seja eterno enquanto dure… (V.1, N.2, P.2, 2018)

Facebook Twitter Instagram YouTube Spotify
Tiempo de leer: 2 minutos

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

#acessibilidade Dois esquilos se enfrentando em um duelo mortal como em uma cena clássica do filme Highlander, com a frase “There can be only one Highlander” ao lado

Durante a década de 80 um filme fez muito sucesso contando a história de um homem amaldiçoado pela imortalidade (Connor MacLelod – interpretado pelo ator Christopher Lambert) que só conseguiria encontrar a morte através do duelo de espadas com outro imortal. O Filme Highlander – o Guerreiro imortal, embora uma ficção, utilizou-se de elementos que habitam nosso imaginário a respeito da idade limite natural que um ser humano poderia alcançar.

O fato é que a ficção e a ciência estão sempre de mãos dadas já que é a imaginação que leva os cientistas a buscarem explicações acerca daquilo que cremos ser impossível.

Há algumas semanas (28 de junho de 2018), um artigo publicado na revista Science traz dados e discussões a respeito se há ou não um limite natural para quanto tempo os humanos podem viver. Sabemos que pelo progresso tecnológico a expectativa de vida aumentou consideravelmente desde o século 19, porém, dados científicos levavam a crer que a vida útil máxima dos seres humanos seria fixa e sujeita a restrições naturais.

O consenso na comunidade científica é que o risco de morte aumenta a partir que avançamos na idade. Ou seja, conforme envelhecemos, a probabilidade de morrer aumenta, o que levaria a um limite teórico na idade adulta por volta de 114 anos. No entanto, os dados mostram que quando as pessoas entram nos seus 90 e 100 anos essa tendência do aumento do risco de morte desacelera e alcança um valor constante.

E foi utilizando de informações demográficas de mais de 4000 italianos com idade superior a 110 anos, os chamados “super-centenários”, que pesquisadores da Universidade de Roma na Itália mostraram em seus estudos que a partir dos 105 anos de idade as chances de alguém morrer de um aniversário para o outro é de aproximadamente 50:50, concluindo que não deve haver um limite natural para quanto tempo os humanos podem viver – pelo menos hipoteticamente!

Assim, podemos dizer que a japonesa Chiyo Miyako (02 de maio de 1901) hoje com 117 e conhecida como a pessoa viva mais velha do mundo pode viver indefinidamente… Ou melhor, caso queiramos nos tornar um Highlander temos que evitar morrer antes dos 110 anos de idade!

Fontes:

Fonte da imagem destacada: internet.

Science 29 Jun 2018, Vol. 360, Issue 6396, pp. 1459-1461

Link: http://science.sciencemag.org/content/360/6396/1459

Título: The plateau of human mortality: Demography of longevity pioneers

Autores: Elisabetta Barbi1, Francesco Lagona, Marco Marsili, James W. Vaupel, Kenneth W. Wachter

Outros divulgadores:

Vídeo do canal Nerdologia sobre Imortalidade

Texto do Nexo Jornal sobre longevidade humana

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *