(Português do Brasil) O Brasil nunca ganhou o Nobel, mas… (V.1, N.5, P.10, 2018)

Facebook Twitter Instagram YouTube Spotify
Tiempo de leer: 3 minutos

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

#acessibilidade Medalha do prêmio Nobel, com o nome e rosto Alfred Nobel de perfil.

Caro leitor, como você deve saber, o Brasil nunca foi premiado com um Nobel não é mesmo? Mas nós temos algumas boas histórias em torno deste prêmio, neste texto quero te apresentar duas delas.

Em primeiro lugar a história de Cesare Mansueto Giulio Lattes, mais conhecido como César Lattes. Este cientista brasileiro nascido em Curitiba no dia 11 de julho de 1924 era físico e matemático formado pela Universidade de São Paulo (USP) e foi o cidadão brasileiro que mais chegou próximo de ser premiado com o Nobel. César trabalhava com uma área que conhecemos como física de partículas que se interessa em descobrir como a matéria é formada na sua estrutura mais simples.

Lattes contribui para a descoberta experimental de uma nova partícula, conhecida como méson-pi. Ele trabalhou junto com o Cecil Frank Powell que foi premiado em 1950 pela descoberta desta partícula. No ano anterior Hideki Yukawa já havia sido premiado pela academia, pois décadas antes havia previsto a existência teórica do méson-pi, uma subpartícula que está presente nos núcleos dos átomos.

Além de uma importância ímpar para a física mundial, Lattes teve uma importância maior ainda para a ciência brasileira. Ele foi um dos co-fundadores do Centro Brasileiro de Pesquisas em Física (CBPF) quando ainda tinha 23 anos. O CBPF esteve diretamente relacionado com a criação do Centro Nacional de Pesquisa (CNPq) que é hoje um dos maiores órgãos financiadores de pesquisa do Brasil. O CNPq construiu uma plataforma online que serve para os pesquisadores brasileiros se conectarem e apresentarem seus trabalhos. Essa plataforma leva o nome de Plataforma Lattes… Incrível como esse curitibano fez história não é mesmo?

Outra curiosidade é que ele foi professor e pesquisador na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), onde trabalhou diretamente com Gleb Wataghin, físico russo que veio para o Brasil e teve muita relevância histórica, sendo responsável por juntar um grupo de físicos muito talentosos que inauguraram o Instituto de Física da UNICAMP, instituto este que até hoje se chama Instituto de Física Gleb Wataghin.

A segunda história que eu gostaria de contar é sobre Peter Brian Medawar. Provavelmente você nunca ouviu falar neste nome, mas Medawar foi phD em biologia pela Universidade de Oxford.

Ele fazia pesquisa na área de zoologia e fez experimentos com ratos que ajudaram na criação de soros antilinfocitários, trabalho este que ajudou significativamente os estudos de rejeição de órgãos transplantados. Por estes estudos Medawar foi premiado com o Nobel de Medicina e Fisiologia em 1960. E você imagina porque estamos falando dele? Bom, Medawar nasceu no Brasil em 1915 na cidade de Petrópolis no Rio de Janeiro. Ele era filho de mãe britânica e por isso foi ainda jovem para o Reino Unido onde se naturalizou e fez toda a sua formação acadêmica. Medawar nunca teve relações próximas com o Brasil apesar de nascer em solo brasileiro.

Mais uma vez por pouco que o Brasil não ganha um Nobel. Essas foram duas vezes que o nosso país quase recebe um dos prêmios mais importantes de ciência mundial. Gostou da história?

Fontes:

Fonte da imagem destacada: Internet.

https://www.canalciencia.ibict.br/ciencia-brasileira-3/notaveis/287-cesar-lattes

Asimov’s Biographical Encyclopedia of Science and Technology – Livro

https://super.abril.com.br/ciencia/quando-vamos-ganhar-um-nobel/

“Físicos, mésons e política: a dinâmica da ciência na sociedade” – Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 29, n. 3, p. 307-308, (2007)

Para saber mais:

Asimov’s Biographical Encyclopedia of Science and Technology – Livro com várias biografias de cientistas notórios

https://www.gov.br/mcti/pt-br/rede-mcti/cbpf/o-cbpf

http://lattes.cnpq.br/

Outros divulgadores:

Vídeo do canal Olá, Ciência! sobre César Lattes e a descoberta do méson no YouTube

Compartilhe:

2 comentário(s) em “(Português do Brasil) O Brasil nunca ganhou o Nobel, mas… (V.1, N.5, P.10, 2018)

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *