Cinco anos de Guia dos Entusiastas da Ciência!

Facebook Twitter Instagram YouTube Spotify

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Reading time: 9 minutes

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

#acessibilidade: Imagem (selfie) com oito pessoas, fazendo parte dela a orientadora, membros e voluntários do Guia dos Entusiastas da Ciência.

Texto escrito por Marcelo Pena

Há cinco anos, no dia 19 de junho de 2018, entrava no ar o Guia dos Entusiastas da Ciência, projeto de extensão vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da UFABC.

Este poderia ser um texto apenas parabenizando pelos cinco anos de projeto, mas ao invés disso será algo muito mais pessoal.

Em agradecimento a todas as pessoas que compõem o grupo WhatSci!, responsável por este projeto, a todas as pessoas que já contribuíram de alguma forma com o Guia, mas também a todos vocês, Entusiastas da Ciência de todo o Brasil e do mundo.

Primeiramente acho que é importante eu me apresentar. Se é para ser um texto pessoal, é justo que você me conheça, não é mesmo? Vou tentar não tomar muito o seu tempo com isso.

Bem, eu me chamo Marcelo Pena, atualmente sou um dos coordenadores do Guia dos Entusiastas da Ciência. Sou Bacharel em Ciência e Tecnologia e Bacharel em Ciência da Computação, ambos pela UFABC, e hoje trabalho com Engenharia de Dados e sou um Entusiasta da Ciência. Se você consultar um dicionário vai ver que entusiasta é a pessoa que se dedica intensa e excessivamente a alguma coisa, mas eu não fui sempre isso aí não.

Eu não tenho bem certeza de quando comecei a me interessar por ciência. Eu assistia O Mundo de Beakman quando era criança, via Laboratório de Dexter, vi mais filmes de ficção científica do que eu conseguiria me lembrar, mas acho que o ponto de virada foi depois que entrei na Universidade, em 2014. A experiência universitária muda você de várias formas.

No meu segundo ano na UFABC ainda existia uma rede social chamada Google+. Ela nunca foi muito popular no Brasil, mas depois de uma aula eu fui procurar um de meus colegas de grupo nas redes sociais e encontrei ele no tal do Google+. Em seu perfil ele tinha compartilhado um vídeo de um sujeito chamado Pirula. Era um vídeo extremamente longo, mas assisti com muita atenção e interesse. Depois vi vídeos dele sobre Belo Monte, sobre o desastre de Mariana, e não parei mais. Através dele conheci o Primata Falante, o Peixe Babel, o Minuto da Terra e muitos outros canais. Depois comecei a acompanhar blogs como o Universo Racionalista, páginas de ciência no Facebook, assisti Cosmos pela primeira vez, comecei a me interessar por divulgação científica.

Acho que todo Entusiasta da Ciência deve ter uma história de como despertou seu interesse por ciência, não?

Desde então eu quis começar a fazer divulgação científica. Apesar de minhas maiores inspirações serem YouTubers, eu não faria isso por vídeo, era extremamente tímido e jamais conseguiria falar pra uma câmera com tanta desenvoltura. Também não me sentia seguro o bastante para começar algo por conta própria, eu não era cientista e tinha entrado na Universidade há pouco tempo, o que eu teria a dizer? Passei a acompanhar cada vez mais divulgadores científicos, em vídeos, em blogs, em podcasts, mas guardei esse meu desejo de fazer parte disso por alguns anos, até 2018.

Nesse ano saiu um edital de projetos de extensão e na lista havia um com o nome “Divulgação científica: desenvolvimento de materiais e de uma plataforma no âmbito da UFABC.“, coordenado pela Profª Drª Paula Homem de Mello, que hoje é a nossa chefa e uma das pessoas que eu mais admiro na vida.

A professora Paula não estava sozinha nessa, junto dela haviam outras pessoas, haviam Janaina, Ivanise, Ronei, Furlan, GabiMichele, Paka, Cassiano, etc. Também não se tratava da primeira iniciativa de fazer divulgação científica, há algum tempo haviam sido lançados livros sobre o tema: Professor, para que estudo isso? e os primeiros volumes da coleção Contém Química. Me inscrevi, fui chamado para a entrevista e logo comecei a participar do projeto como voluntário.

O que começou como uma troca enorme de e-mails com um montão de ideias surgindo, migrou para um grupo de WhatsApp chamado WhatSci!, onde até hoje conversamos sobre o Guia, compartilhamos informações, falamos sobre ciência, discutindo se uma planta carnívora faz cocô ou como surge o petróleo ou sobre picaretas que fingem falar de ciência.

WhaSci logo - Cinco anos de Guia dos Entusiastas da Ciência!

#acessibilidade Imagem de um quadrado verde claro de cantos arredondados com o nome WhatSci! escrito em branco na parte de baixo e dois balões de fala logo acima dele, o da esquerda com um ponto de interrogação e o da direita símbolos científicos como a dupla hélice do DNA.

Depois de um verdadeiro toró de ideias, tivemos duas reuniões presenciais onde optamos pelo uso da ferramenta WordPress para criação do blog, hospedado em um servidor da UFABC, e definimos finalmente um nome: Guia dos Entusiastas da Ciência, inspirado na série literária Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams.

Como eu era o cara da computação, fiquei incumbido de criar um protótipo do site. Nunca havia utilizado WordPress, mas fui aprendendo e nas reuniões com a professora Paula e o Renato Cunha, primeiro bolsista do projeto, fomos fazendo escolhas, como quais plugins usar, as cores para comporem a identidade visual do blog serem inspiradas nas cores da UFABC, o logo do projeto, criado pela Esther Menezes (ele tem uma leve inspiração na química, como você pode notar).

 

Logo do Guia dos Entusiastas da Ciencia - Cinco anos de Guia dos Entusiastas da Ciência!

#acessibilidade Logo do Guia dos Entusiastas da Ciência. Nome escrito nas cores amarela, verde e preto. As iniciais G e C são na verdade anéis aromáticos estilizados para formarem letras em amarelo.

Depois de muita conversa e decisões tomadas, o site finalmente entraria no ar no dia 19 de Junho de 2018, cinco anos atrás.

Fizemos muita coisa nesses cinco anos.

Por todo esse tempo nos comprometemos e tentamos publicar ao menos um texto por semana no blog, sempre tomando cuidado para usar uma linguagem acessível ao grande público e para que toda informação estivesse cientificamente correta. Nosso grupo cresceu com o tempo, hoje conta com 59 pessoas, em grande parte docentes e/ou pesquisadores da UFABC, e temos uma grande lista de temas, da qual as pessoas do grupo selecionam um e escrevem um texto a respeito, então ele passa pela revisão de outras pessoas do grupo para eventuais correções e por fim é postado no blog. A todos que já escreveram textos para o Guia, já ajudaram na revisão ou participaram das discussões em nosso grupinho, eu deixo meu agradecimento, sem vocês nada disso aqui seria possível.

Todo esse cuidado rende frutos: por mais de dez vezes recebemos contato de editoras solicitando permissão para usar um de nossos textos em livros didáticos. Além disso, também conseguimos um International Standard Serial Number (ISSN) para o blog, o que nos torna uma publicação seriada digital. Você pode reparar nos títulos dos textos no blog e nas edições ali em cima no Menu.

Em 2020 nos organizamos para produzir dois textos por semana sobre a pandemia de COVID-19, todos eles compilados no nosso Especial Coronavírus. Temos também um Especial Mulheres na Ciência para contar a história de cientistas reais.

Sempre nos preocupamos com a acessibilidade do blog, com descrições das imagens em texto e no alt das imagens para leitores de tela, além de narração dos textos pelo Audima e em linguagem de sinais pelo VLibras. Disponibilizamos também versões em espanhol e inglês de alguns de nossos textos no blog.

Criamos redes sociais para o Guia na intenção de divulgar o projeto, começando pelo Facebook, YouTube, então Instagram e Twitter. Elas cresceram aos poucos, com exceção do Facebook. No começo de 2019 eu fiz um meme sobre o Dia de Darwin e essa imagem teve um alcance de mais de 2 milhões de pessoas, fazendo a página ganhar mais de 5 mil seguidores em um piscar de olhos!

Mais recentemente começamos a produzir áudio textos, por iniciativa (e muito empenho) da professora Vanessa, para ampliar ainda mais o nosso alcance e garantir que mesmo quem não pode ficar vários minutos lendo um texto consiga, ao invés disso, ouvi-lo.

Criamos uma página para dizer a todos quem somos e contar um pouco sobre nós, um formulário de contato e mais tarde um formulário para que pessoas de fora do grupo pudessem enviar seus textos para publicação, desde que seguissem as normas de publicação. Recebemos vários textos assim, todos passaram pela análise e revisão do grupo e alguns foram publicados no blog.

No começo do projeto, o Renato, que é formado em jornalismo, começou a fazer entrevistas gravadas em vídeo e mais tarde entrevistas ao vivo com as pessoas que formam o Guia e outros pesquisadores e pesquisadoras próximas. O objetivo era mostrar às pessoas que cientista não é só o velhinho de jaleco branco no laboratório, mas sim que são pessoas reais de todos os tipos. Sabe, a minha parte preferida dessas entrevistas era a caixa de comentários do Facebook, onde geralmente a mãe, o pai e outros familiares da pessoa entrevistada faziam questão de comentar e elogiar. Eu acho que esse é o melhor reconhecimento que qualquer um poderia querer. Você pode acompanhar a série Profissão Cientista no YouTube e no Facebook.

Logo do Profissao Cientista - Cinco anos de Guia dos Entusiastas da Ciência!

#acessibilidade Logo do Profissão Cientista, com profissão escrito em amarelo com letras que simulam rabiscos de canetinha e cientista escrito da mesma forma em verde embaixo. A primeira letra O de profissão e a primeira letra I de cientista são formadas por uma lupa, sento a lente a letra O e o cabo a letra I, com uma gato branco de óculos e gravata borboleta vermelha atrás da lente.

Por mais de uma vez participamos e apresentamos projeto no Congresso de Extensão e Cultura da UFABC (Conexão), tivemos um resumo expandido publicado na Revista Conectadas, participamos do Encontro Brasileiro de Divulgadores de Ciência (EBDC), fizemos um treinamento junto ao Blogs de Ciência da Unicamp, publicamos vídeos do Pint of Science e do Festival Estrutura da Matéria, participamos da Marcha Virtual pela Ciência e também estreitamos os laços com outros projetos de divulgação científica da UFABC, nossos parceiros do UFABC Divulga Ciência, do Ciência em Foto, do Ciencion, do NeuroCast, dentre outros.

No dia a dia muita coisa precisa ser feita para o projeto funcionar. É preciso cuidar dos arquivos compartilhados do grupo, colocar os textos no site, criar as artes e fazer postagens nas redes sociais, comunicar tudo ao restante do grupo, etc. Nesses cinco anos, várias pessoas já foram responsáveis por isso: Marcelo (no caso, eu mesmo), Renato, Mayara, Milena, Gabriela, Giuliana, Nayara, Sheila, Igor e, mais recentemente, Nathalia, Pedro e Gabriel. São essas pessoas que garantem há cinco anos que você tenha um texto novo no blog para ler em toda segunda-feira, que publicam um #tbt toda quinta, que fazem as artes e as postagens que você vê em nossas redes sociais e que editam os áudios que você encontra no Spotify do Guia. A vocês, bolsistas, voluntários, ex-voluntários que se tornaram bolsistas e ex-bolsistas que mesmo sem a bolsa não nos deixaram na mão, eu deixo o meu muito obrigado.

Não poderia deixar de agradecer também à Universidade Federal do ABC e à PROEC, em especial agradeço Vanessa e Thiene por todo o apoio nesses cinco anos, elas foram extremamente importantes, não apenas para o Guia, mas para toda a divulgação científica nesta universidade, e ao Núcleo de Tecnologia da Informação por todo o suporte técnico rápido e eficiente sempre que foi necessário.

E, por fim, existe você, leitor. Eu provavelmente não te conheço, mas de alguma forma você chegou até aqui. No primeiro mês em que o blog esteve no ar tivemos pouco mais de mil visitas. No mês passado tivemos mais de vinte mil. Eu não sei se você chegou até aqui por uma busca no Google, por um link em nossas redes sociais ou se alguém compartilhou este texto com você, mas você está aqui agora, de nada adiantaria um blog sem o leitor, então eu também deixo o meu muito obrigado a você.

Nos desviamos da programação normal deste blog, hoje não teve um texto de divulgação científica para você ler, mas me reservei o direito de contar um pouco da história do Guia nesta data especial, espero que não se importe. Não deixe de voltar na segunda-feira que vem, temos sempre novidades!

 

Feliz aniversário, Guia dos Entusiastas da Ciência!

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *