(Português do Brasil) O que dá cor aos fogos de artifício? (V.1, N.2, P.3, 2018)

Facebook Twitter Instagram YouTube

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Reading time: 3 minutes

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese and European Spanish. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in this site default language. You may click one of the links to switch the site language to another available language.

#acessibilidade Explosão de fogos de artifício, luz muito intensa em primeiro plano e fumaça em segundo plano.

Texto escrito em colaboração com Naomi Akiba

Os fogos de artifício encantam festas e comemorações gerando em alguns uma explosão de curiosidade. Por que são coloridos? Por que apresentam diferentes formas e cores ao explodir? Antes de se encantar com a beleza das cores é importante saber que tudo começa com a pólvora, agente propelente (substância que inicia a propulsão) e que tem a função de lançar os fogos de artifício em direção ao céu. A pólvora é a mistura de carvão, enxofre e um agente oxidante. Ao fornecer energia a essa mistura, geralmente utilizando fogo, ocorre uma série de reações de combustão da pólvora. O agente oxidante se decompõe produzindo oxigênio (O2) que reage com o carvão e o enxofre originando dióxido de enxofre (SO2) e dióxido de carbono (CO2). Ao atingir uma certa altura explodem violentamente em ruído e em uma série de cores.

Cores!!! Pois bem agora vamos entender a beleza das cores. À pólvora são misturados sais de elementos metálicos e a variedade de luzes coloridas observadas durante o espetáculo no céu depende do elemento químico presente nos sais. Sais de estrôncio (Sr) são responsáveis pela cor vermelha, sais de cobre (Cu) pela cor azul, sódio (Na) pelo amarelo, cálcio (Ca) pelo laranja e bário (Ba) pelo verde. Misturas de sais são usadas para as cores roxo (estrôncio e cobre), branco (magnésio, alumínio e titânio) e prata (magnésio e alumínio).

Certamente na reação de combustão da pólvora uma quantidade significativa de energia na forma de calor é liberada. Esse calor é fornecido aos sais dos metais misturados à pólvora que devolvem essa energia na forma de cor. Como cada elemento metálico absorve uma quantidade distinta de energia, ao liberar essa energia absorvida, acabam emitindo cores em diferentes comprimentos de onda, sendo assim possível manipular os fogos de artificio para que tenham diferentes cores. Aquelas que enxergamos são emitidas na região do espectro visível da luz (região do espectro eletromagnético em que o olho humano tem a capacidade de enxergar cor), logo a energia é liberada como luz colorida!

Vale ressaltar que apesar de toda sua beleza, sempre que for manusear fogos de artifício deve-se seguir as instruções do fabricante, seu uso inadequado pode causar ferimentos graves e até mesmo risco de perder a vida.

Fontes:

Fonte da imagem destacada: Ivanise Gaubeur.

R. Papai, N. Akiba. R. Araújo, P. Dantoni e I. Gaubeur, Fogos de artifício – uma festa no céu. In Contém Química: Venda controlada – apenas para curiosos. Editora UFABC, 2016.
http://editora.ufabc.edu.br/colecao-o-que-e-ser-cientista/37-contem-quimica-tarja-preta

Para saber mais:

A.C, Gracetto, N. Hioka e O. Santini, Combustão, chamas e testes de chama para cátions: Proposta de experimento. Química Nova na Escola, nº 23, p. 43, 2006.
http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc23/a11.pdf

Outros divulgadores:

Link para o vídeo do ClickCiência UFSCar sobre fogos de artifício

Compartilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *