(Português do Brasil) O sol faz bem para o seu coração (V.1, N.4, P.3, 2018)

Facebook Twitter Instagram YouTube

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Reading time: 2 minutes

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

#acessibilidade Mulher com os braços abertos de frente para o sol.

Estudos demonstraram que as taxas de doenças cardiovasculares em países próximos à linha do Equador são menores do que em países mais distantes. O estudo publicado em 1998 pelos autores Law e Morris relacionou o risco de doença cardiovascular em função da latitude. Os resultados mostram uma tendência: quanto maior a latitude, maior será o risco de doença cardiovascular. Por exemplo, um indivíduo que mora na Escócia tem maior risco de doença cardiovascular do que um indivíduo que mora na Austrália.

Em 2016, o Prof. Dr. Richard Weller da Universidade de Edimburgo na Escócia reportou um resultado semelhante relacionando a pressão sanguínea e a latitude. Esses resultados mostram que um indivíduo que mora em São Paulo no Brasil (22° de latitude) apresenta pressão sanguínea em torno de 10% menor do que indivíduos que moram em Edimburgo (55° de latitude). Esse fato pode ser atribuído à diferença de incidência solar nas cidades localizadas em diferentes latitudes. Indivíduos com elevados/suficientes níveis de vitamina D apresentam menores taxas de doenças cardiovasculares. O Prof. Dr. Richard Weller e seus colaboradores propuseram que a vitamina D é apenas um marcador, e que os efeitos benéficos no sistema cardiovascular estariam relacionados com processos mediados pela radiação solar.

A pele apresenta grandes estoques de espécies reativas de nitrogênio/oxigênio (NOx) nas camadas da pele. A luz solar é responsável por liberar uma molécula chamada óxido nítrico (NO) desses depósitos de NOX presentes na pele, o qual se difundiria da pele para a corrente sanguínea, causando a vasodilatação, diminuindo a pressão arterial. Ou seja, a luz do sol gera o NO na nossa pele, aumentando a vasodilatação e diminuindo a pressão arterial. Quanto maior a exposição ao sol, mais NO é formado na pele e menor é a pressão arterial do indivíduo.

Apesar da radiação solar apresentar efeitos negativos, como o aumento da incidência de câncer de pele e o envelhecimento precoce, ela também está relacionada com a manutenção do equilíbrio do organismo por meio da regulação da pressão arterial. Conforme dito pelo Prof. Richard Weller: “The future is bright — let a little sunshine into your heart”

Fonte:

Fonte da imagem destacada: Julian Jagtenberg para o Pexels

https://www.ted.com/talks/richard_weller_could_the_sun_be_good_for_your_heart?language=pt-br

Compartilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *