Cachorro tem panturrilha? (V.4, N.11, P.1, 2021)

Facebook Twitter Instagram YouTube
Tempo de leitura: 4 minutos
#acessibilidade Na figura aparecem o desenho de um cachorro caramelo olhando para você, um frango assado e uma galinha. Nos três desenhos está marcado o músculo da panturrilha e o local correspondente na perna de um humano.

Quem treina musculação para valer, sabe que não basta um belo peitoral, bíceps e barriga tanquinho. Tem que lembrar também do que fica abaixo da cintura. Quê? Para manter uma boa proporção corporal, coxas e panturrilha também precisam ser exercitadas. Pode ser que você conheça a panturrilha com um nome mais infantil: batata da perna. É o mesmo músculo, aquele que contraído faz ficarmos na ponta dos pés e chama-se oficialmente gastrocnêmio.

Posso imaginar então que como somos os únicos a ter pés, também somos os únicos no reino animal a ter panturrilhas, certo? Errado! Quem falou que somos os únicos a ter pés? Você sabia que fazemos parte de um grupo de animais chamado de vertebrados terrestres ou tetrápodes (que significa: quatro pés)? Esse grupo compartilha a presença de dois pares de membros, um anterior e outro posterior, quatro patas. Alguns animais no grupo descendem de linhagens que tiveram os membros modificados ao longo das gerações: em asas, por exemplo. Outros mudaram de postura e passaram a ser bípedes, como os seres humanos, por exemplo. Continuamos com quatro membros, mas agora a gente chama de braços ou membros superiores e pernas ou membros inferiores, que correspondem aos membros anteriores e posteriores do grupo Tetrapoda.

Os quatro membros dos tetrápodes têm origem comum. Podemos atestar isso com base no desenvolvimento embrionário e anatomia comparada. São formados pelos mesmos ossos e músculos. Quando duas estruturas têm a mesma origem evolutiva chamamos de homólogas. Significa que surgiu em uma população ancestral comum e ao longo das gerações foi sofrendo modificações nas diferentes linhagens. O resultado final corresponde a um puxa daqui, diminui dali, engrossa de lá, dos mesmos ossos. Você conhece o trabalho do artista japonês Satoshi Kawasaki? Ele ilustra como o ser humano seria se tivesse a estrutura óssea de diversos animais. É bastante interessante e algo perturbador.

Ou seja, rã tem panturrilha, cachorro tem panturrilha, lagartixa tem panturrilha e galinha também. Você só precisa reconhecer as partes correspondentes no corpo de cada animal. A panturrilha fica atrás da perna entre o joelho e o calcanhar. Assim, para reconhecê-la em outros vertebrados a primeira coisa necessária é achar o membro correto – os posteriores. E então reconhecer o joelho e o calcanhar. Quando olhamos o membro traseiro de um cachorro, de baixo para cima, temos a patinha, onde estão os dedos e então uma articulação que dobra para trás. Esse é o calcanhar! Subindo você vai encontrar meio escondido o joelho, que é a articulação que dobra para a frente, como o nosso joelho mesmo. A panturrilha está aí. Bem menos evidente do que a nossa. Em outros animais pode ser bem mais fácil encontrar. Já comeu perna de rã? Ou bem mais difícil, como na galinha. Pensa em um frango assado, você adora comer coxa? O que você come na coxa é justamente a panturrilha da galinha. A coxa mesmo chamamos de sobrecoxa.

panturrilha - Cachorro tem panturrilha? (V.4, N.11, P.1, 2021)

Quem estuda a correspondência entre partes do corpo de diferentes animais trabalha com anatomia comparada. Conhecer esses detalhes mostra como fazemos parte de um todo e temos nossas histórias evolutivas interligadas. É lindo e importante, porque podemos nos conhecer melhor e encontrar respostas para muitos de nossos males físicos, entendendo outros animais. E se entendemos como somos tão parecidos em origem, percebemos que os males que os afetam, podem nos afetar também. Vamos refletir? Seres humanos se acham tão importantes que tem gente que até se ofende quando a gente diz que é bicho como os outros bichos. Será que a ofensa não está no jeito de olhar? Ser bicho como os outros bichos pode ser algo que nos traga responsabilidade. Ser responsável é ter poder de mudar. É saber que o que afeta negativamente o grupo do qual faz parte, também não é bom para você. Que tal usarmos essa capacidade de transformação incrível do ser humano para vivermos de maneira sustentável neste planeta lindo, azul e redondo?

Fontes:

Andrade 2018. Sentimentos e emoções dos animais: somos tão diferentes assim?

Barcelos, Arab & Verdade. 2018. Somos todos peixes! V.1, N.3, P.1, 2018

Grinevičius & Kačerauskas 2019. Japanese Illustrator Shows How Humans Would Look If We Had Various Animals’ Bone Structures (14 Pics)

Kardong 2011. Vertebrados. Anatomia Comparada, Função e Evolução. Quinta edição. Anatomia comparada de vertebrados.

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *